sábado, 18 de novembro de 2017

Vacinação Febre Amarela - Situações especiais que necessitam de avaliação prévia - Lúpus/Artrite está na lista 👀

VACINAÇÃO 💉FEBRE AMARELA
SE VOCÊ SE ENCAIXA EM UMA DAS SITUAÇÕES 
ABAIXO, PROCURE O PROFISSIONAL DA UNIDADE 
PARA SABER SE PODE SER VACINADO:

Crianças menores de 9 meses

Pessoas portadoras de câncer

Pacientes em quimioterapia e radioterapia

Transplantados de órgãos sólidos e medula óssea

Pessoas em uso de corticóide

Pessoas infectadas pelo vírus HIV

Pessoas em uso dos seguintes medicamentos:

• Azatioprina

• Ciclofosfamida

• Infliximabe

• Etanercepte

• Golimumabe

• Certolizumabe

• Abatacept

• Belimumabe

• Ustequinumabe

• Canaquinumabe

• Tocilizumabe

• Rituximabe 

Pessoas com miastenia gravis

Pessoas com timoma

Pessoas com Lúpus

Pessoas com doença de Addison

Pessoas com artrite reumatóide


Gestante

Alergia grave (choque anafilático) a algum componente da vacina ou ovo

Mulheres amamentando bebês de até 6 meses 

Imunodeficiência

Não há transmissão de febre amarela no Município de São Paulo. Essa é uma ação preventiva.

#saudeprefsp

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Dep Laura pede participação de todos para agilizar projeto de Atenção ao Lúpus e diz que Presidente da Câmara Rodrigo Maia poderá colocar em votação ainda este ano

Por Deputada
Laura Carneiro 
👇 😉
Contamos com todos para conseguir pôr na pauta de votação do plenário, em breve, o Projeto de Lei
PL 3796/2004
íntegra do projeto 👉  Inteiro teor 
que dispõe sobre a Política Nacional de Conscientização e Orientação sobre o LES (Lupus Eritematoso Sistêmico) e considera os bloqueadores solares como medicamentos, prevendo seu fornecimento pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Já foi aprovado no Senado sem modificações e está pronto para entrar no plenário da Câmara dos Deputados. Conversei sobre isso com o Presidente da Casa, Rodrigo Maia, e ele está bastante sensibilizado pela questão e deverá encaminhar a votação ainda este ano, da qual depende a qualidade de vida de milhares de brasileiros! Vamos apoiar!

#Lúpus #LauraCarneiro

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=1791992944147081&id=153132958033096


#FalaCidadão 😉📣
Por #SandraStel
Olha aí pessoal agora é hora de #NósNosUnirmos e cobrar agilidade e aprovação desde projeto.
A autora deste projeto #PL3796/2004 , Dep Laura Carneiro tem se empenhado a nos ajudar , então agora é a hora de fazermos a nossa parte , pois somos nós mais que ninguém é que sabemos o quanto é importante ter está lei em nível Nacional. Vamos nos manifestar mais uma vez até que este proj seja aprovado.
Tenho enviado e-mails para o presidente da casa #RodrigoMaia questionando está demora, eles não seguem a ordem das pautas, se seguissem já era para ter sido aprovado à anos, infelizmente o nosso projeto sempre é colocado em pauta mas nunca é analisado e é colocado para o final da lista 😶

Vamos ligar e mandar e-mails para a Câmara 😉

#DisqueCâmara
☎ 0800-619-619

Fale com o Presidente da Câmara Dep Rodrigo Maia

Informações do Deputado

Foto do Deputado RODRIGO MAIA
Dep Laura Carneiro , agradecemos o seu empenho 😉
#LúpicosUnidosChegaremosLá
#LúpicosBoraCobrarAgilidadeParaPL3796/2004
#PresidenteDaCâmaraDosDep
#RodrigoMaia
#DeputadosQueremos AproçãoDoPL3796/2004
#LúpusTemQueTerAtenção
#LúpusTemQueTerPolíticasPúblicas
#LúpicosBuscandoApoio

#VivaBemComLúpus
#LúpusLesLes 😉

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Unidade Escola-Promoção de Saúde UFPR promove Palestra "Lúpus Eritematoso Sistêmico - aspectos da doença e tratamento"

Escola-Promoção de Saúde promove Palestra:
"Lúpus 
Eritematoso Sistêmico - aspectos da doença e tratamento"

DATA: 29/nov/2017, quarta-feira

HORÁRIO: 15hs00

LOCAL: Unidade Escola-Promoção de Saúde

☎ (41) 3360-7234

Rua Padre Camargo, 261 - Alto da Glória, Curitiba - PR

PALESTRANTE: 
Helena H. Lobo Borba, farmacêutica e doutora em Ciências Farmacêuticas

Pautas : 
O que é Lúpus? 
Quais as causas desta doença? 
Como são realizados o seu diagnóstico e o seu tratamento? 
Venha conversar com a Professora Drª Helena Lobo Borba sobre estas e outras questões na Unidade Escola-Promoção de Saúde.

INSCRIÇÕES: 👇 😉https://goo.gl/forms/32BePv6Yuhu3xGCD3

OBSERVAÇÃO: 😨
a confirmação de inscrição será enviada por email. Em caso de desistência, favor informar por e-mail (unidade.escola.palestras@gmail.com)

O evento é aberto a todos: comunidade em geral, docentes, discentes, técnicos e servidores.

Será fornecido certificado aos participantes

EVENTO GRATUITO

#PalestraSobreLúpus 🐺
#VemPraUnidade
#UnidadeEscolaPromovendoSaúde
#LúpusTemQueTerAtenção
#LúpusTemQueTerOrientação
#LúpusTemQueTerTratamentoAdequado 😷
#LúpusConheceraDoençaParaSaberEnfrentar 😉
#Compartilhando
#VivaBemComLúpus
#LúpusLesLes

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=1897582906922866&id=1305269649487531

http://www.saude.ufpr.br/portal/unidadeescola/evento/lupus-eritematoso-sistemico-aspectos-da-doenca-e-tratamento/


Rua Padre Camargo, 261 - Alto da Glória, 80060-240 Curitiba

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Novembro Azul - Campanha "Filho que ama leva o pai ao AME" Check-up gratuito para homens

Check-up gratuito para homens: programa já realizou 200 mil consultas
Com atendimento aos sábados, campanha
"Filho que ama leva o pai ao AME" 
estimula exames preventivos e diagnóstico precoce

Do #PortalDoGovernoSP

O programa “Filho que ama leva o pai ao AME” já resultou no atendimento de 82 mil pessoas em todo o Estado, além da realização de 200 mil consultas.

A iniciativa desenvolvida pela Secretaria de Estado da Saúde começou em março de 2014 e estimula os filhos a levarem os pais a partir de 50 anos de idade a fazer check-up médico nos Ambulatórios Médicos de Especialidades.

Além das consultas, os pais atendidos passam por exames preventivos nas áreas de enfermagem, cardiologia e urologia. O atendimento pelo programa ocorre sempre aos sábados, das 9h até as 13h, em 25 unidades do AME, da capital, Grande São Paulo, interior e litoral do Estado.

Apesar de a campanha de prevenção e promoção de saúde incentivar os filhos a levarem os pais ao médico, as consultas precisam ser agendadas pelos próprios pacientes.

O atendimento completo é realizado em pelo menos dois sábados. No primeiro, o paciente passa por uma consulta de enfermagem para avaliação de peso, altura e risco cardíaco, além da realização de exames laboratoriais de sangue e eletrocardiograma.

No sábado seguinte é agendado o retorno para as consultas com cardiologista e urologista para análise dos resultados dos exames. Em caso de anormalidade, o paciente é encaminhado para mais exames, com acompanhamento e tratamento.

O protocolo de atendimento foi desenvolvido em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia e Socesp (Sociedade Brasileira de Clínica Médica).

As unidades da capital e Grande São Paulo que fazem o atendimento do programa “Filho que ama leva o pai no AME” são: Heliópolis; Mogi das Cruzes; Taboão da Serra; Carapicuíba; Mauá; e o CRI Norte. No interior e litoral, as unidades ficam em Jundiaí; Araçatuba; Américo Brasiliense; Santos; Praia Grande; Barretos; Bauru; Promissão; Franca; Ourinhos; Rio Claro; Presidente Prudente; São João da Boa Vista; Mogi Guaçu; Votuporanga; São José do Rio Preto; Sorocaba; Caraguatatuba; e Tupã

Confira aqui a lista de todos os AMEs do Estado de São Paulo.Para
agendar as consultas, 👇☎ ligue 0800-779-0000.

Saiba tudo sobre a doença, o seu desenvolvimento, possíveis causas, diagnóstico e tratamento. Acesse 👉  aqui a cartilha. O material foi produzido pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde e Secretaria de Estado da Educação.

Clique 👉 aqui para conferir as matérias e artigos sobre o tema no especial Novembro Azul do Portal do Governo de São Paulo.

http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/filho-que-ama-leva-o-pai-ao-ame-estimula-realizacao-de-xx-mil-consultas/

#Compartilhando
#FilhoQueAmaLevaoPaiNoAME 💞 👪
#NovembroAzul 💙
#GovernoDoEstadoDeSP
#SecretariaDeEstadoDaSaúdeSP
#SecretariaDoEstadoDaEducação #SP
#InstitutoDoCâncerSP
#Icesp
#AMEsDoEstadoDeSP
#VivaBemComLúpus
#Lúpuslesles 😉

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Selena Gomez detalhou as complicações de saúde causadas pelo lúpus em entrevista exclusivapela NBC News que foi exibida no Today 'sToday .

Em uma entrevista exclusiva com a 
NBC News, 
Gomez e sua doadora de rim e amiga, Francia Raisa, compartilham a história por trás do procedimento que sofreram no início deste ano.

Selena Gomez abriu emocionalmente sobre o transplante secreto de rim que sofreu no início deste ano em uma entrevista exclusiva com a NBC News, que foi exibida no Today 'sToday .
Falando ao lado de sua doadora de rim, Francia Raisa, Gomez detalhou as complicações de saúde causadas pelo lúpus, uma doença auto-imune que foi diagnosticada há cinco anos. "Eu tive artrite. Meus rins estavam parando. Minha mentalidade era apenas continuar ", explicou Gomez a Savannah Guthrie.
Sendo apenas meras semanas da diálise e de um estado de saúde que ameaçava a vida, Gomez compartilhou emocionalmente a notícia com sua amiga e companheira de quarto Raisa, sentindo-se desesperada em suas circunstâncias de saúde. "Um dia ela chegou em casa e ela estava emocionada. Eu não perguntei nada. Eu sabia que ela não estava se sentindo bem", disse a atriz Grown-ish . "Ela não conseguiu abrir uma garrafa de água um dia, e ela jogou e começou a chorar. E ela diz: "Eu não sei o que fazer. A lista tem sete a dez anos de duração. "Sem hesitação, Raísa se ofereceu para testar. A atriz não só testou sua urina e sangue, mas também passou por uma avaliação física e psicológica. O processo de avaliação leva normalmente seis meses para completar, mas devido à saúde vacilante de Gomez, Raisa completou testes dentro de um dia.

Raísa também teve que escrever um testamento, por precaução, que ela poderia não despertar após a cirurgia, algo que sua mãe achava difícil. "Minha mãe não queria estar lá até eu acordar", disse ela. "Minha mãe ama Selena. Ela estava rasgada. "Embora Raísa fosse compatível, Gomez revelou que não queria pedir a ninguém que fosse testado, porque era "difícil".
"Ela morava comigo neste momento interessante, onde meus rins estavam acabados. Era isso e eu não queria pedir uma única pessoa na minha vida ", explicou emocionalmente Gomez. "O pensamento de pedir a alguém para fazer isso foi realmente difícil para mim. E ela se ofereceu e fez isso. ... O fato de que ela era compatível, quer dizer, isso é inacreditável". Após a cirurgia, Gomez lembrou-se de se sentir bem depois de ver sua mãe, padrasto e Raísa, até que ela começou a "hiperventilar" e sentindo muita dor perto de seus rins. Os médicos disseram que ela tinha que voltar para a cirurgia porque seu novo rim estava "girando dentro de seu corpo". "Meus dentes estavam triturando. Eu estava enlouquecendo ", disse Gomez." Era uma cirurgia de seis horas que eles tinham que fazer e o processo normal de rim é de duas horas ".
Durante seu processo de recuperação, Gomez conseguiu um lugar para ela e Raisa para ficar juntas. Sua recuperação consistiu em uma restrição de cama rigorosa, com a caminhada limitada a menos de uma hora por dia. "Foi difícil, porque  constantemente precisei pedir ajuda", explicou Raísa. "Eu acho que uma das experiências mais humilhantes foi ajudar a colocar roupas íntimas. Nós não conseguimos tomar banho sozinhas. Foi um processo realmente brutal. "Uma experiência humilhante para ambas" , Gomez agradece Raisa por salvar sua vida. "Porque ela fez. É isso. Eu acho que eu cheguei ao ponto em que era realmente uma espécie de vida ou morte".

Após a recuperação, Gomez compartilhou que a cirurgia transformou sua saúde, com uma chance de 3-5 por cento de que sua doença diagnosticada volte. "Assim que recebi o transplante de rim, minha artrite desapareceu", explicou Gomez. "Meu lúpus - há cerca de 3-5 por cento de chances de que ele volte. Minha pressão arterial é melhor. Minha energia, minha vida tem sido melhor ".

Em setembro, Gomez compartilhou notícias de seu transplante de rim em uma postagem do Instagram.

Matéria traduzida pela #Google
 TheHollyWoodReporterNews
30/10/2017 por Lexy Perez
Leia a íntegra da matéria clicando aqui 👇
http://www.hollywoodreporter.com/news/selena-gomez-francia-raisa-kidney-transplant-today-interview-watch-video-1052881

#Compartilhando
#VivaBemComLúpus
#Lúpuslesles

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

PL 933/2015 da Dep Zeidan agora é Lei N° 7749 de 16/10/2017 Fica instituído o Dia Estadual do Combate ao Lúpus a ser realizado anualmente no dia 10 de maio, no Estado do Rio de Janeiro

Agora é Lei 👏
Olha ai RJ
#LúpusMaioRoxo
Texto da Lei [ Em Vigor ]

LEI Nº 7749 
 De 16 DE OUTUBRO DE 2017

ALTERA A LEI ESTADUAL Nº 5.645, DE 6 DE JANEIRO DE 2010, PARA INSTITUIR O DIA ESTADUAL DO COMBATE AO LÚPUS,  NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.

O GOVERNADOR DO ESTADO DO 
RIO DE JANEIRO
Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:


Art. 1° Fica instituído o Dia Estadual do Combate ao Lúpus, a ser realizado, anualmente, no dia 10 de maio, no Estado do Rio de Janeiro.
    Art. 2º Altera o Anexo da Lei Estadual nº 5645, de 2010, que passa a ter a seguinte redação:

    "ANEXO
    CALENDÁRIO DATAS COMEMORATIVAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 

    (...)

    MAIO
      (...)
    10 – DIA ESTADUAL DO COMBATE AO LÚPUS. 
    Lei nº …
    (...)"
    Art. 3º O Dia Estadual do Combate ao Lúpus tem como objetivo estimular o combate a esta doença, que tem causa desconhecida, através de medicamentos e tratamentos bem definidos.
      Art. 4º A data alusiva ao Dia Estadual do Combate ao Lúpus, de que trata esta lei, passa a integrar o Calendário Oficial de Eventos do Estado do Rio de Janeiro.

      Art. 5° Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.


      Rio de Janeiro, em 16 de outubro de 2017.

      LUIZ FERNANDO DE SOUZA
      Governador


      Hide details for Ficha TécnicaFicha Técnica
      Projeto de Lei nº933-A/2015Mensagem nº
      AutoriaZEIDAN
      Data de publicação17/10/2017



      Por Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro 👇

      Deputada Zeidan PL 933/2015


      http://alerjln1.alerj.rj.gov.br/scpro1519.nsf/012cfef1f272c0ec832566ec0018d831/7f8d80b4595ee0a783257ed0006924d1?OpenDocument&ExpandSection=-1

      terça-feira, 10 de outubro de 2017

      Iluminação do Cristo Redentor e ação do Banco de Perucas celebram 🌹 Outubro Rosa 🌹

      Iluminação do 
      Cristo Redentor 
      e ação do 
      Banco de Perucas celebram 
      🌹 Outubro Rosa 🌹

      Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil
      03/10/2017

      O monumento do Cristo Redentor, no Morro do Corcovado, no Rio de Janeiro, ficará iluminado de rosa esta noite (3), em uma ação da Fundação Laço Rosa, com apoio da Arquidiocese do Rio e das concessionárias Trem do Corcovado e Paineiras, abrindo o calendário oficial do mês que alerta contra o câncer de mama. A iniciativa faz parte do movimento internacional Outubro Rosa.

      Criada em 2011 por Aline Lopes, que descobriu ser portadora de câncer de mama na gestação, a Fundação Laço Rosa luta diariamente para mudar a realidade do câncer de mama no Brasil. Pioneira no projeto Banco de Perucas Online, a instituição criou o projeto Força na Peruca, “porque todas as organizações que lidavam com o resgate da autoestima da mulher com câncer de mama tinham o mesmo problema, que era a falta de profissionais”, disse a gerente-geral da Fundação Laço Rosa, Patricia Bullé.

      O Força na Peruca veio suprir essa lacuna, uma vez que o projeto capacita pessoas para aprender a fazer perucas para mulheres em tratamento. “E a gente consegue estender a outros tipos de doença com queda capilar, como lúpus, alopécia, escalpelamento. A gente consegue resgatar autoestima como um todo”, ressaltou Patrícia.

      A fundação trabalha também com políticas públicas, por meio do Fórum Estadual de Combate ao Câncer de Mama, que reúne organizações de câncer de mama do estado do Rio de Janeiro, para pontuar as dificuldades que cada uma enfrenta na sua região. “E a gente briga com o estado, com o governo, para melhor acesso à saúde da mulher”. A gerente-geral da Fundação Laço Rosa lembrou que o câncer de mama detectado cedo tem 95% de chance de cura.

      O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), do Ministério da Saúde, estima que de 2016 a 2017, surgirão no Brasil quase 58 mil novos casos da doença.

      Peruqueiros
      O caminhão escola do projeto Força na Peruca está estacionado hoje (3) no Centro de Visitantes Paineiras, no Corcovado, aberto à doação de cabelos pela população, depois do início da campanha #fortalizese, que começou no Rio de Janeiro e já passou por Curitiba, Goiânia e Salvador. Na próxima sexta-feira (6), ele irá para o Parque Madureira, na zona norte da cidade, onde permanecerá por dois dias coletando cabelos, no horário de 13h às 16h. No dia 10, o caminhão estará no BarraShopping, zona oeste, até o dia 28 deste mês, com o mesmo objetivo, seguindo, no dia 29, para o município de Niterói, região metropolitana do Rio, antes de se dirigir a São Paulo.

      No ano passado, o Força na Peruca capacitou 30 alunos em uma turma-piloto no Rio. Com as turmas deste ano, já são 90 peruqueiros formados no Brasil, e a ideia é chegar ao final do ano com um número superior a 100 pessoas capacitadas.

      Segundo a gerente-geral da instituição, por meio do programa Bolsa de Perucas Online, mais de 3 mil famílias foram beneficiadas no país, “porque uma paciente com câncer de mama envolve toda a família”. O 'kit' peruca engloba, além da própria peruca, uma lembrança para a paciente como, por exemplo, um creme para as mãos ou um batom, e uma carta de incentivo de alguém que já passou por algum tipo de câncer e superou o problema. São distribuídos também folhetos informativos com os cuidados necessários para a saúde da mulher.

      Madrinhas

      Este ano, a campanha da Fundação Laço Rosa tem como madrinhas a atriz Camila Pitanga e a modelo Fernanda Motta. Para Patrícia Bullé, qualquer celebridade que apoie a causa demonstra grandeza de espírito. “É algo que não tem preço uma pessoa que dedica um pouco do tempo para fazer algo por outra”.

      sábado, 7 de outubro de 2017

      Pesquisa da (FMRP) da USP desenvolveu um kit diagnóstico que aperfeiçoa o tratamento da artrite reumatoide

      Kit para diagnóstico aprimora o tratamento da artrite reumatoide
      Expressão de enzima indica chance de resistência a terapia contra inflamação nas articulações do corpo

      Por Júlio Bernardes - Editorias: Ciências da Saúde
      Pesquisa da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP desenvolveu um kit diagnóstico que aperfeiçoa o tratamento da artrite reumatoide. O estudo do biomédico Raphael Sanches Peres mostra que os baixos níveis de uma enzima em células de defesa do organismo reduzem as chances de deter a inflamação, prejudicando a resposta à terapia contra a doença. Usando a enzima como biomarcador, o teste feito com o kit permitirá aos médicos escolher o tratamento mais indicado para a artrite. A pesquisa é uma das ganhadoras do Prêmio Tese Destaque USP 2017.

      A artrite reumatoide é uma doença inflamatória crônica que afeta as articulações do corpo, provocando inchaço e dor, podendo ainda levar à erosão dos ossos e deformidades nas articulações. Por ser uma doença autoimune, o sistema imunológico ataca por engano os tecidos saudáveis. “Na artrite reumatoide, há um comprometimento das funções de células T reguladoras (Tregs), que tornam-se incapazes de controlar a inflamação”, diz Peres. “Certamente esse é um dos fatores cruciais para o surgimento da doença, e por isso a manipulação de células Tregs tem sido apontada como um possível caminho para novos tratamentos.”

      O metotrexato é hoje a terapia mais indicada para o tratamento da artrite reumatoide, em especial para pacientes recém-diagnosticados. “O fármaco aumenta os níveis de adenosina, que é um potente agente anti-inflamatório quando atua em seus receptores presentes na superfície das células inflamatórias”, descreve o biomédico. “A interação ativa uma via supressora nessas células, controlando o processo inflamatório e detendo a doença. No entanto, cerca de 40% dos pacientes não respondem ao tratamento, o que obriga a adoção de outras terapias, mais caras que o metotrexato.”

      O pesquisador aponta que o objetivo do trabalho foi desvendar os mecanismos imunológicos e moleculares associados com a falha terapêutica do metotrexato em pacientes com artrite reumatoide. “Para isso, foi realizado um estudo prospectivo em pacientes artríticos, o que depois permitiu identificar possíveis biomarcadores capazes de prever a eficácia terapêutica do metotrexato nestes pacientes”, destaca.
      Resistência
      A superfície das células Tregs apresenta uma alta expressão da enzima CD39, que atua na formação de adenosina. “O estudo demonstrou que o nível de expressão desta enzima em células circulantes de pacientes com artrite reumatoide é um biomarcador capaz de prever a capacidade do paciente em responder ao tratamento com metotrexato”, diz o biomédico. “Pacientes resistentes ao tratamento expressam significativamente menos moléculas de CD39 nas suas células Tregs do que aqueles que respondem à terapia, mesmo antes do início do tratamento.”

      O trabalho também demonstrou a via de sinalização celular mediada pela citocina TGF-β que leva à indução da expressão da enzima CD39, e uma mutação no gene que expressa um tipo de receptor de TGF-β que compromete a ativação da via de sinalização em pacientes que não respondem ao tratamento, afetando consequentemente a expressão de CD39. “O uso da CD39 em células Tregs como biomarcador da eficácia terapêutica do metrotrexato pode trazer grandes benefícios para a qualidade de vida dos pacientes, evitando uma exposição desnecessária do paciente ao fármaco, e para otimizar a escolha das terapias disponíveis, ocasionando uma diminuição considerável dos custos com medicamentos e serviços hospitalares oferecidos durante o tratamento”, afirma Peres.
      O estudo propõe que pacientes recém-diagnosticados com artrite reumatoide e não submetidos a nenhum tratamento façam um teste laboratorial em centros médicos de referência, com o kit desenvolvido na pesquisa (composto de anticorpos conjugados a substâncias que emitem cores quando estimuladas por laser e soluções para marcação das células dos pacientes), com o intuito de determinar o grau de expressão de CD39 em células Tregs. “Pacientes que apresentarem uma expressão reduzida de CD39 em células Tregs seriam indicados a outras terapias disponíveis, como a administração de agentes biológicos, evitando gastos com tratamentos ineficazes”, ressalta o biomédico. “O kit já foi patenteado e espera-se que nos próximos anos possa estar disponível na prática clínica, acessível a toda a população.”

      A pesquisa é descrita na tese de doutorado de Peres, A sinalização de TGF-β envolvida na expressão de CD39 em células T reguladoras está associada com a eficácia terapêutica do metotrexato na artrite reumatoide, que recebeu o Prêmio Tese Destaque USP 2017 na área de Ciências Biológicas. O estudo foi orientado pelo professor Fernando de Queiroz Cunha, do Departamento de Farmacologia, e teve co-orientação do professor Paulo Louzada-Júnior, do Departamento de Clínica Médica da FMRP. A pesquisa teve ainda colaboração da Universidade de Glasgow (Reino Unido), por meio do grupo liderado pelo professor Foo Liew. O trabalho contou com apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), através do Cepid Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias (CRID) e da concessão de bolsa de doutorado.
      Mais informações: e-mail raphael.sanchesperes@kennedy.ox.ac.uk, com Raphael Sanches Peres

      #JornalDaUSP
      A íntegra da matéria está aqui 👇
      http://jornal.usp.br/ciencias/ciencias-da-saude/kit-para-diagnostico-aprimora-o-tratamento-da-artrite-reumatoide/

      #Compartilhando
      #VivaBemComLúpus
      #Lúpus

      terça-feira, 3 de outubro de 2017

      Selena Gomez está gravando documentário sobre sua batalha contra o lúpus

      A cantora espera poder alertar sobre a doença e ajudar vítimas e famílias dividindo sua história

      Depois de compartilhar nas redes sociais uma foto após receber um transplante de rim doado por uma grande amiga, agora Selena Gomezplaneja lançar um documentário, que já está sendo gravado, relatando toda a sua luta e os perigos do lúpus, doença autoimune que pode afetar os rins, o cérebro e diversos outros órgãos do corpo. A informação foi dada à revista norte-americana "In Touch".

      A fonte, que permaneceu anônima, revelou: "Selena vai falar sobre sua jornada e esclarecer questões e mal-entendidos sobre o lúpus. Ela espera inspirar outras vítimas da doença. Desde o transplante, ela é outra mulher, mas foi uma experiência exaustiva. Quando ela saiu da reabilitação, ela reclamava que se sentia cansada e estava ganhando peso. Quando soube do transplante, ela entrou em pânico. Ela precisou de muita força para passar por tudo isso."

      Apesar da visível melhora após a cirurgia, um dos médicos responsáveis pela saúde de Selena Gomez, o Dr. Robert Fafalk, alerta para possíveis riscos futuros: "Outros órgãos, como os pulmões, podem ser acometidos. Mais do que nunca, ela precisa se afastar de festas. Não é só por um período, e sim pela vida toda."

      Com apenas 25 anos de idade, Selena Gomez já foi embaixadora da UNICEF e sempre se destacou por seu ativismo e envolvimento com causas sociais. Este ano, ao lado de Demi Lovato, a cantora apresentou o WE Day, dia que celebra o movimento WE, programa social que busca soluções para problemas em todo o mundo.

      Vamos torcer para que Selena Gomez sempre desfrute de boa saúde e tenha forças para continuar cantando!

      Por #VagaLume 👇
      https://www.vagalume.com.br/news/2017/10/03/selena-gomez-esta-gravando-documentario-sobre-sua-batalha-contra-o-lupus-saiba-mais.html

      Espero que este documentário venha mostrar um pouco da nossa realidade , pois a @SelenaGomez com a graça de #Deus tem recursos e não deve passar o que muitos passam😢 ainda bem que ela está levantando está #bandeira , porque aqui mesmo em #SP temos uma #Lei de faz de conta 😯a lei que serviria para #conscientizar a população infelizmente não saiu do papel 😢
      Eu mesma já enviei vários e-mails e já cheguei a ligar para a #SecretariaDaSaúde para cobrar sobre está lei da #ConscientizaçãoSobreoLúpus  e nada , ficamos a ver navios este ano com o #LúpusMaioRoxo😷

      sexta-feira, 29 de setembro de 2017

      Micofenolato de Mofetila para (Nefrite Lúpica) e Belimumabe (Benlysta) para o tratamento do Lúpus Estão entre as novas Consultas Públicas

      Estão disponíveis no portal da CONITEC  novas consultas públicas sobre medicamentos e Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas (PCDT). Duas delas referem-se à avaliação dos medicamentos belimumabe e 
      micofenolato de mofetila para tratamento do lúpus eritematoso sistêmico e outra, é sobre o medicamento cetuximabe para câncer colorretal. As demais consultas públicas referem-se a Protocolos Clínicos que norteiam o cuidado de duas doenças crônicas no Sistema Único de Saúde: a Mucopolissacaridose tipo I e o Diabetes Melittus tipo I.
      Essas consultas estarão vigentes por 20 (vinte) dias e têm por objetivo viabilizar a participação da sociedade no processo de avaliação de tecnologias em saúde que antecede a incorporação, exclusão ou alteração de medicamentos, produtos e procedimentos utilizados no SUS, assim como na elaboração e atualização de Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas.
      Na seção “Consultas Públicas” do portal, estão disponíveis os relatórios técnicos de recomendação das tecnologias, as propostas de atualização dos PCDT e os relatórios para a sociedade, com informações sobre as avaliações realizadas.
      Para participar, basta acessar um dos formulários eletrônicos disponíveis aqui.
      Proposta de incorporação do micofenolato de mofetila para lúpus eritematoso sistêmico
      Consulta Pública CONITEC/SCTIE Nº 50/2017 
      Inicio: 22/09/2017
      Término: 11/10/2017

      1. RESUMO EXECUTIVO
      Tecnologias: 
      Micofenolato de mofetila (CELLCEPT®) e micofenolato de sódio (MYFORTIC®)
      Indicação: Nefrite lúpica
      Demandante: Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE/MS)

      Contexto: Nefrite lúpica consiste no comprometimento renal decorrente de lúpus eritematoso sistêmico. Cerca de metade dos casos desta doença apresentam nefrite lúpica. Há seis tipos morfológicos para classificação em casos de lúpus eritematoso sistêmico: 
      Tipo I - glomérulo normal; Tipo II – Nefrite Lúpica (NL) mesangial; 
      Tipo III - NL focal segmentar e proliferativa focal; 
      Tipo IV - NL proliferativa difusa; 
      Tipo V - NL membranosa; Tipo VI - NL esclerosante avançada. 
      Para o tratamento de nefrite lúpica, o SUS disponibiliza antimaláricos, glicocorticoides e imunossupressores. Há evidências sobre a eficácia de derivados de ácido micofenólico no tratamento de pacientes com nefrite lúpica.

      Evidências científicas: Foi identificada a não inferioridade de micofenolato de mofetila e de micofenolato de sódio em relação a ciclofosfamida.

      Discussão: Há evidências de efetividade e segurança das tecnologias pra a indicação clínica proposta. Devido à semelhança terapêutica entre os dois fármacos e o menor impacto orçamentário de micofenolato de mofetila em relação a micofenolato de sódio, fica o primeiro 
      privilegiado e o segundo prejudicado. Considerando que não consta na bula dos  medicamentos a indicação clínica proposta, a autorização de uso no SUS deverá ser solicitada à ANVISA.

       Antes de fazer sua contribuição, leia o relatório a seguir, que contém as informações que embasaram a recomendação preliminar da CONITEC:

      A recomenação preliminar da CONITEC foi favorável à proposta de incorporação do micofenolato de mofetila para lúpus eritematoso sistêmico (nefrite lúpica). 

      Você concorda?
      Sua Participação é muito importante 😉 

       Ao finalizar o preenchimento do formulário, clique no botão "Gravar".

        Deixe aqui a sua experiência ou opinião , ela é muito importante para podermos ter esses medicamentos Micofenolato de Mofetila (MFM) e o Belimumabe (Benlysta) fornecidos pelo SUS , atualmente quando necessitamos desses medicamentos temos que recorrer na Secretaria do Estado ou até mesmo entrar com ação Judicial porque não consta o nosso Cid, por isso a sua participação é muito importante.
        Afinal nós é que sabemos o quanto é difícil termos os nossos pedidos negados 😨

        Formulário Experiência ou Opinião 
        Clique aqui sobre o Micofenolato de Mofetila  👇



        Acesse aqui a íntegra do

        Aqui estão alguns trechos do Relatório para a Sociedade 👇 😉

        5. CONSIDERAÇÕES FINAIS
        Considerando-se eficácias semelhantes (semelhantes taxas de indução e manutenção da remissão da atividade de doença renal) entre o MMF e a CCF, o perfil do MMF e do MFS com menor índice de infecções, o perfil do MMF e do MFS com menor risco de induzir infertilidade (fator importante, visto que a maioria dos pacientes são mulheres em idade fértil), que atualmente existe melhor evidência com uso de MMF e MSF por período de até 10 anos de acompanhamento que avaliou melhor o efeito tardio do MMF sobre a função renal e a óbvia intercambialidade entre os derivados do ácido micofenólico (MMF e MFS), as evidências de eficácia (atividade de doença, função renal, morte) e segurança (infecções e infertilidade)
        endossam o MMF ou MFS como medicamentos alternativos para o tratamento da (NL) Nefrite Lúpica.
        Apesar da equivalência clínica relatada, a análise de impacto orçamentário apontou resultados diferentes entre o MMF e MSF. No caso da incorporação apenas do MMF o impacto
        orçamentário seria de aproximadamente R$ 7,7 milhões no primeiro ano e R$ 38,5 milhões ao longo dos próximos cinco anos, enquanto caso fosse incorporado apenas o MSF o impacto orçamentário seria de aproximadamente R$ 67,7 milhões no primeiro ano e de R$ 340 milhões ao longo dos próximos cinco anos.
        O uso do (MMF) Micofenolato de Mofetila ou (MFS) Micofenolato de sódio devem, portanto, ser considerado como opção, nos casos refratários ou com contra indicações ao uso de CCF na indução ou que falharam à AZA na manutenção.

        6. RECOMENDAÇÃO PRELIMINAR DA CONITEC
        Pelo exposto, a CONITEC, em sua 57ª reunião ordinária, no dia 6 de julho de 2017,
        recomendou a incorporação no SUS de micofenolato de mofetila 500 mg comprimido
        revestido para nefrite lúpica. Considerou-se a semelhança terapêutica entre micofenolato de
        mofetila e micofenolato de sódio, sendo o primeiro cerca de 10 vezes mais barato que o
        segundo. Além disso, considerou-se a previsão de R$ 10 milhões para o impacto orçamentário
        da incorporação do micofenolato de mofetila.

        #LúpicosParticipem!😉
        #MinhaParticipação 😷
        #Minha contribuição 😉👇
        Eu como paciente😷não usei o (Micofenolato de Mofetila) , mas ao longo do meu tratamento conheci muitas pessoas que utilizaram esse medicamento onde houve uma melhora em relação a atividade da Nefrite Lúpica .
        No meu caso usei o Micofenolato de sódio onde obtive sucesso no meu tratamento da Nefrite e do Lúpus .
        Gostaria que também fosse incorporado o (Micofenolato de Mofetila e o Micofenolato de sódio) para o tratamento da Nefrite Lúpica como #primeira opção no tratamento da nefrite e que fosse incorporado com o Cid M32 ,acredito que com esses procedimento na primeira opção de tratamento iria diminuir muito os agravos da saúde dos pacientes e os gastos públicos .
        O uso excessivo de Corticoides podem agravar outros problemas como as osteonecroses , osteoporose, ... assim deixando muitos pacientes deficientes físicos , assim como no meu caso. 😯

        Também entrou para consulta pública o
        Benlysta (Belimumabe) , mas esse a"Recomendação preliminar da CONITEC foi: Não favorável à incorporação no SUS."

        A sua participação é muito importante , preencha o formulário experiência ou opinião deixe lá o seu relato sobre este medicamento 😉👇

        Consulta Pública CONITEC/SCTIE 
        Nº 49/2017 
        - Início: 25/09/2017 Término: 16/10/2017

        Medicamento analisado: Belimumabe
        A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde solicitou à CONITEC a incorporação do belimumabe para o tratamento do LES em adultos que não responderem à terapia padrão prevista no Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas da doença. Trata-se de um medicamento para aplicação subcutânea (injetado na pele), com registro aprovado na ANVISA para a indicação em questão.

        Recomendação inicial da CONITEC 😨

        Os membros do plenário da CONITEC, presentes na 57ª reunião ordinária, realizada nos dias 05 e 06 de julho de 2017, recomendaram inicialmente a Não incorporação no SUS do belimumabe para Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES), devido à baixa qualidade dos estudos que comparam seu benefício e segurança, frente aos tratamentos já disponibilizados pelo SUS, além do seu alto custo.

        Formulário Experiência ou Opinião
        Deixe a sua experiência ou opinião aqui 👇
        Experiência ou Opinião
        👆→ Ao finalizar o preenchimento do formulário, clique no botão "Gravar".

        Proposta de incorporação do belimumabe para lúpus eritematoso sistêmico

        Recomendação preliminar da CONITEC: Não favorável à incorporação no SUS.

         Antes de fazer sua contribuição, leia o relatório a seguir, que contém as informações que embasaram a recomendação preliminar da CONITEC: 👇
        Relatório para a Sociedade

        http://conitec.gov.br/consultas-publicas

        #FicaDica
        #NãoBastaTerLúpusTemosQueParticipar
        Se queremos melhorias temos que agir , a #SuaOpiniãoéMuitoImportante😉
        #Compartilhem
        #Participem
        #VivaBemComLúpus
        #Lúpulesles💊💉💊

        segunda-feira, 25 de setembro de 2017

        Para o ministro da Saúde, há excesso de hospitais no Brasil

        O ministro da Saúde, Ricardo Barros, 
        diz que o Brasil precisa caminhar para um modelo de atendimento à saúde que reduza a hospitalização

        São Paulo – O sistema de saúde no Brasil poderia funcionar com um quinto dos hospitais disponíveis, segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros. Durante sua participação no EXAME Fórum Saúde, ele disse que é preciso tirar dos hospitais os pacientes que não precisam de cuidados emergenciais. “Temos de dispor do leito para quem de fato pode ser salvo pelos equipamentos do hospital.” Para Barros, o governo federal tem cumprido o papel de financiar metade dos custos com a saúde, mas há desequilíbrio na distribuição do dinheiro público. “Alguns são financiados adequadamente; outros, não”, afirma. “É esse Frankenstein que temos de mudar.”

        EXAME – Falta dinheiro ou gestão no sistema brasileiro de saúde?

        Ricardo Barros– Falta gestão. Enquanto nós não tivermos segurança de que todo o dinheiro está bem aplicado, não teremos moral de pedir mais recurso para a saúde.

        EXAME – O Brasil tem mais de 7.500 hospitais. É o suficiente?

        Ricardo Barros –Poderíamos resolver tudo com 1.500 hospitais. Esse é o dado estatístico com base numa análise criteriosa de atendimentos. Por que não fechamos hospitais? Por uma questão política. É difícil fechar um hospital. Por isso, estamos propondo medidas como a formação de consórcios de gestão e rateio de custos. Dessa forma, a decisão de fechar uma unidade ou de ampliá-la não será mais do gestor local, será do conjunto dos que financiam o serviço.

        EXAME – Se a estrutura é suficiente, por que há hospitais com filas?

        Ricardo Barros –Precisamos otimizar as estruturas disponíveis no sistema de saúde pública. Um terço das unidades de terapia intensiva é ocupada por pessoas sob cuidados paliativos. A pessoa está num hospital que tem tomógrafo, ressonância, centro cirúrgico, ocupando um leito para não usar nada disso. Temos de dispor desse leito para quem de fato pode ser salvo por essa estrutura. A reclamação de que leitos estão fechando é apenas a comprovação da eficácia do novo modelo, com estruturas como hospital-dia e saúde da família criadas para diminuir a hospitalização.

        EXAME – Na busca por eficiência, será adotado o prontuário eletrônico. Como garantir a segurança das informações?

        Ricardo Barros – Até o final de 2018, teremos todos os brasileiros com o prontuário eletrônico. Estamos usando o modelo de biometria do Tribunal Superior Eleitoral, porque a lei exige que o modelo seja padrão, e isso dará muita segurança e nos permitirá economizar. Não repetiremos mais consultas, exames, nem a entrega de medicamentos.

        EXAME – Por que o Brasil tem unidades básicas e de pronto-atendimento fechadas?

         Ricardo Barros – Porque elas viraram moeda de troca política. O prefeito constrói e, quando a unidade fica pronta, não tem como operá-la. Nós vamos liberar algumas delas para funcionar como complemento do serviço de saúde do município. O gestor poderá usar o prédio para o que é mais adequado ao interesse da população.

        EXAME – Há falta de racionalidade no sistema de saúde?

        Ricardo Barros – Temos de corrigir vários itens da tabela SUS. Por exemplo, na biopsia de mama, o que nós pagamos não alcança nem o preço da agulha. Isso diminui a execução da biopsia de mama, reduz a identificação precoce de câncer e aumenta o custo do tratamento. Mas a tabela SUS nunca foi feita para pagar 100% dos custos. E, se considerarmos incentivos e estratégias federais, o financiamento não é ruim. No fim das contas, consegue representar 50% do custo. Mas, como é discricionário, alguns são financiados adequadamente; outros, não. É esse Frankenstein, criado com uma série de remendos, que temos de mudar.

        EXAME – O senhor concorda que falta continuidade nas políticas públicas de saúde?

        Ricardo Barros – Sem dúvida. A saúde é muito ideologizada. Todo mundo concorda que está ruim. Mas, quando se pergunta “vamos mudar?”, a resposta de todas as partes envolvidas é não. Para resolver isso, precisa haver pactuação. Hoje, tudo é pactuado em uma comissão tripartite. Meu sucessor, se quiser mudar alguma coisa, terá de combinar com a comissão, na qual ele é minoria, porque tem representantes de União, estados e municípios. Ele terá de convencer os demais membros. As pactuações dão mais estabilidade às políticas públicas de saúde.

        EXAME – Qual é sua opinião sobre o programa Mais Médicos?

        Ricardo Barros – O programa Mais Médicos segue um tripé. Primeiro: médicos bolsistas para atender em lugares distantes e periferias, onde não há condições de trabalho nem segurança. Conta com 18 000 médicos ao custo de 3 bilhões de reais por ano. Outro pé são novos cursos de medicina. Terceiro: ampliação da medicina da família e da atenção básica, chaves para resolver 80% dos problemas. Isso está em andamento. Também queremos reduzir o número de médicos cubanos de 11.400 para 7.000 em três anos. O programa é um acerto.

        https://www.google.com.br/amp/exame.abril.com.br/revista-exame/para-o-ministro-da-saude-ha-excesso-de-hospitais-no-brasil/amp/  
        A pergunta que não se quer calar 😨 Será que o Ministro e seus familiares usam o #SUS ?????😷
        Rep: #LógicoQueNão 😎
        Pois se eles usassem os serviços do SUS poderiam ter uma idéia do que muitos de nós passamos 😷😨
        #MinistroDaSaúdeBoraUsarOsHospitaisDoSUS😉
        #Compartilhando
        #VivaBemComLúpus
        #LúpusLesles😷