quinta-feira, 21 de abril de 2016

Vacinação contra a gripe 2016 Tire suas dúvidas

Lúpus 
Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas 
Lúpus
Ministério da Saúde
Secretaria de Atenção à Saúde

PORTARIA Nº 100, DE 7 DE FEVEREIRO DE 2013

Realizar vacinação anual contra o vírus da gripe e vacinação pneumocócica a cada 5 anos.
A vacina contra a influenza (gripe) é inativada, contendo vírus mortos.

Em pacientes com LES e em uso de imunossupressores, devem-se evitar vacinas com vírus vivos atenuados.


Tire suas dúvidas sobre a vacinação contra a gripe
Na próxima terça-feira (22) começa, em todo o país, a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe. Realizada pelo Ministério da Saúde, em parceria com as secretarias estaduais e municipais de saúde de todo o país, a campanha tem como principal objetivo reduzir a mortalidade, as complicações e as internações que ocorrem em consequência das infecções pelo vírus da influenza nesta população.
O público-alvo representa, aproximadamente, 49,6 milhões de pessoas. O Blog da Saúde preparou um material para você tirar suas dúvidas sobre a vacinação contra a gripe:

Quem deve receber a vacina?
Para escolher os grupos prioritários o Ministério da Saúde seguiu recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS). 
Além das crianças de seis meses a menores de cinco anos, integram este grupo pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores de saúde, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional. 

As pessoas portadoras de doenças crônicas não-transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais, também devem se vacinar.

Quais são os vírus que a vacina protege?
A vacina protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no inverno passado que são: Influenza A (H1N1); Influenza A (H3N2) e Influenza B.

A vacina contra gripe imuniza contra resfriado?
Não, pois o resfriado é diferente de gripe. A vacina não imuniza contra o resfriado causado por outros vírus.

Qual é o período de vacinação?
Entre 22 de abril e 9 de maio. No sábado (26), acontece o Dia “D” de Mobilização Nacional. Todos os postos de saúde estarão abertos para vacinação. O horário de funcionamento é das 8 às 17 horas, podendo ser alterado conforme definição da Secretaria Municipal de Saúde de cada localidade.

Há alguma contraindicação da vacina?
A vacina é contraindicada para pessoas com histórico de reação anafilática prévia em doses anteriores, bem como a qualquer componente da vacina ou alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados.
No entanto aquelas pessoas com história de alergia a ovo, que apresentem apenas urticária após a exposição, podem receber a vacina da influenza mediante adoção de medidas de segurança em ambiente hospitalar. Recomenda-se observar a pessoa vacinada, pelo menos, por um período de 30 minutos em ambiente com condições de atendimento a reações anafiláticas.

A vacina contra a gripe causa algum efeito colateral?
Não. A vacina usada na campanha contra a gripe é segura e bem tolerada. Em poucos casos podem ocorrer manifestações de dor no local da injeção ou endurecimento.
Além disso, as pessoas que não tiveram contato anterior com os antígenos – substâncias que provocam a formação de anticorpos específicos – podem apresentar mal-estar, dor muscular ou febre. Todas estas ocorrências tendem a desaparecer em 48 horas.

Vou ficar gripado (a) após me vacinar?
Não. A vacina contra a influenza (gripe) é inativada, contendo vírus mortos, fracionados ou em subunidades não podendo, portanto, causar gripe. Quadros respiratórios simultâneos podem ocorrer sem relação causa-efeito com a vacina.

A vacina contra a gripe tem o mesmo efeito que um antigripal?
Não, a vacina previne contra a gripe e o antigripal é um medicamento para o alívio sintomático da gripe, usado para reduzir os efeitos causados pela doença.

Por que a vacina não é oferecida, de forma gratuita, para toda população? Quais os critérios de distribuição?
A vacina de influenza tem por objetivo evitar os casos graves e os óbitos, e não eliminar a transmissão do vírus. Por isso, o Brasil, assim como todos os países que usam essa vacina, segue a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de vacinar os grupos com maior vulnerabilidade para as complicações e os óbitos.

Na sua grande maioria, os casos de gripe são casos leves e que se resolvem espontaneamente, sem sequelas ou complicações. Entretanto, nos grupos mais vulneráveis, o caso pode se complicar e gerar outras doenças graves, como a pneumonia bacteriana.

O que são grupos prioritários?
São grupos que estão vulneráveis a contrair a gripe e desenvolver complicações, como pneumonia e até mesmo o óbito.

Por que a população prisional (pessoas privadas de liberdade) está entre os grupos prioritários?
Este é um grupo vulnerável que ao contrair a gripe e outras doenças respiratórias pode desenvolver complicações e evoluir para o óbito. Principalmente quando consideramos as condições de habitação e confinamento a que são submetidos.
Protegendo a população privadas de liberdade, protege-se também outras as pessoas que estão em contato com este grupo, como os funcionários que trabalham nos presídios.

Quem está dentro do grupo de doentes crônicos?
Este grupo esta dividido por categoria de risco clínico e indicação, conforme o quadro a baixo:
Locais específicos?
As pessoas com doenças crônicas podem se dirigir a qualquer um dos 65 mil postos de vacinação e também aos de Centros de Referencias de Imunobiológicos Especiais (CRIE). É importante que os doentes crônicos apresentem uma prescrição médica no ato da vacinação.

Por que crianças com menos de seis meses não serão vacinadas?
A vacina disponível atualmente não é recomendada para menores de seis meses porque os estudos científicos não demonstram qualidade da resposta imunológica para este grupo, ou seja, a proteção não é garantida.

Quanto tempo leva para a vacina fazer efeito?
Em adultos saudáveis, a detecção de anticorpos protetores se dá entre duas a três semanas após a vacinação. O pico máximo de anticorpos ocorre após quatro a seis semanas após a vacinação.

Onde está sendo realizada a vacinação?
Nos postos do Sistema Único de Saúde (SUS), espalhados por todo o país. Estes postos estão situados em Unidades Básicas de Saúde (UBS). Recomendamos buscar o mais próximo de sua residência.

Onde é fabricada a vacina contra a gripe?
As vacinas distribuídas nesta campanha são fabricadas pelo Instituto Butantan e pela Sanofi Pasteur (fábrica dos Estados Unidos e da França).

É obrigatório apresentar a caderneta de vacinação?
Não é obrigatória a apresentação da caderneta de vacinação, mas este documento é necessário para atualização de outras vacinas do calendário de vacinação.

Quem se vacinou no ano passado, precisa se imunizar de novo?
Sim, a imunidade dura – após a vacina – de seis meses a um ano. A composição da vacina e produção é anual, podendo mudar conforme os vírus que circularam no ano anterior.

Qual a diferença entre a gripe comum e a influenza A (H1N1)?
São causadas por diferentes subtipos do mesmo vírus da influenza. O subtipo A (H1N1) produziu a pandemia de 2009 e continua circulando como mais um dos subtipos do da influenza.
Os sintomas da gripe comum e H1N1 são parecidos e se confundem: febre repentina, tosse, dor de cabeça, dores musculares, dores nas articulações e coriza. A pessoa que apresentar algum desses sintomas deve procurar o serviço de saúde para receber o tratamento com o antiviral Oseltamivir, quando indicado.

Qual a diferença entre resfriado comum e síndrome gripal?
Resfriado comum é uma infecção viral de sintomas mais brandos que a gripe e pode durar de dois quatro dias. Também apresenta sintomas relacionados ao comprometimento das vias aéreas superiores, como congestão nasal, secreção nasal (rinorréia), tosse e rouquidão. A febre é menos comum e, quando presente, é de baixa intensidade. Outros sintomas também podem estar presentes, como mal-estar, dores musculares (mialgia) e dor de cabeça (cefaléia). Assim como na influenza, no resfriado comum também podem ocorrer complicações como otites, sinusites, bronquites e até mesmo quadros mais graves, dependendo do agente etiológico que está provocando a infecção. Os principais agentes infecciosos do resfriado comum são os Rhinovírus (com mais de 100 sorotipos), os Coronavírus, os vírus Parainfluenza (principalmente o tipo 3), o Vírus Sincicial Respiratório, os Enterovírus e o Adenovírus.
A gripe é uma infecção viral, que se caracteriza pelo surgimento de febre alta, cefaléia, dores no corpo, mal-estar, tosse seca, dor de garganta e coriza. Este quadro pode perdura por sete a 10 dias.
Como ocorre a transmissão?
O vírus é transmitido de pessoa a pessoa, principalmente por meio da tosse ou do espirro. Outra forma de transmissão é pelo contato com secreções respiratórias de pessoas infectadas ao tocar superfícies contaminadas e depois levar a mão ao rosto.
Quais as medidas de proteção para a população não vacinada?
Para se prevenir, as pessoas devem ser orientadas a tomar alguns cuidados de higiene como: lavar bem, e com frequência, as mãos com água e sabão; evitar tocar os olhos, boca e nariz após contato com superfícies; não compartilhar objetos de uso pessoal e, ainda, cobrir a boca e o nariz com lenço descartável ao tossir ou espirrar.
http://www.blog.saude.gov.br/nxsrlv
#GovSP
#MinistérioDaSaúde
#BlogDaSaúde
#Gripe #InfluenzaA
#H1N1 #H3N2
#InfluenzaB
#Compartilhando
#LúpusLesLes
#LúpusTemQueTerAtenção
#VivaBemComLúpus
#Lúpusleslesblogspot♡

Nenhum comentário:

Postar um comentário